Blog

6 de maio de 2019

Notícias da ausência pública


 

 

  O Rio de Janeiro é considerado patrimônio cultural pela UNESCO. Sua paisagem é diversificada e a mistura de etnias destacam-se em relação ao resto do mundo. Entretanto, a falta de infraestrutura e a violência exacerbada atual roubaram o título e nomearam a cidade, internacionalmente, como exemplo de desordem pública.

  O grande número de favelas e construções deterioradas fazem prevalecer que a ausência governamental e a inércia de atitudes eficazes tomaram controle da cidade, ocasionando uma grande desordem civil. Além disso, o aumento da violência, destaca-se ano a ano, de acordo com os jornais e revistas cariocas, classificando o momento atual como “A era do chumbo”.

  Outro ponto que se destaca são construções irregulares que ocupam a maior parte da cidade. Por isso, a falta de investimentos sociais dos órgãos locais e federais, transforma muitas comunidades em locais marginalizados e dominados pelo poder paralelo. Tudo isso recorda as palavras do Augusto Comte, filósofo francês, que afirma: “O progresso não é mais do que o desenvolvimento da ordem”.

  Em virtude disso, os desafios para ter responsabilidade social com a deficiência na infraestrutura e com a extrema violência local  devem ser tratados com mais vigor pelos poderes Executivo e Legislativo do município. Só assim, criarão notícias e propostas mais eficazes e direcionadas ao problema urbano carioca. O intuito deve ser valer o nome da cidade do Rio de Janeiro como sempre foi reconhecido, mundialmente, a “Cidade maravilhosa e cheia de encantos mil”.

 

  Autor: Thiago Lacerda. Aluno do Centro de Escrita Regina Magalhães.

 

  Tema: Os desafios da responsabilidade social na cidade considerada maravilhosa.

 


2 Comentários para "Notícias da ausência pública"

  1. Fico muito feliz em evoluir nos textos dissertativos e fazer parte das suas aulas. Sua importância foi fundamental para essa evolução. Muito obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *