Blog

15 de novembro de 2019

Pontes mais seguras da saúde


 

  A automedicação é um mau hábito da maioria dos brasileiros que está sendo praticada cada vez mais, trazendo consequências negativas para quem a pratica. A medicação por conta própria caracteriza-se pelo uso indiscriminado de remédios sem a indicação de um profissional da área.

  Não é novidade que os brasileiros possuem o hábito de se automedicarem. No Brasil, isto ocorre devido ao fato de que o sistema de saúde nem sempre é eficiente e, principalmente, pelo costume de as pessoas sempre quererem uma solução mágica para seus problemas. Nosso país apresenta problemas na área da saúde, como grandes filas de espera nos hospitais e a falta de recursos para as pessoas necessitadas. A partir deste fato, os indivíduos que estão à procura de uma consulta e não conseguem e optam pela automedicação que, inicialmente, aparenta ser uma solução rápida e eficaz.

  O Brasil é recordista mundial em automedicação. Cerca de 72% dos brasileiros se medicam por conta própria. Os medicamentos é a principal causa de intoxicação no Brasil, com 25% de adeptos, ficando à frente de produtos de limpeza, agrotóxicos e alimentos estragados. Boa parte desses acidentes ocorre devido à automedicação ou à indicação de pessoas não habilitadas para tratamento de doenças e sem fazer uma avaliação prévia com um médico. Os analgésicos, os anti-inflamatórios e os antitérmicos são os que mais intoxicam, além de serem os mais consumidos na automedicação.

  Em vista dos argumentos apresentados, deve-se conscientizar a população sobre tal tema e realizar campanhas para mostrar suas consequências. O primeiro passo para acabar com a automedicação seria melhorar o sistema de saúde, através do melhor acompanhamento dos profissionais da área e a melhoria da infraestrutura dos hospitais e dos centros de atendimento à saúde. Assim, as pessoas optariam pela consulta médica ao invés da automedicação. Outra ponte segura para solucionar o problema seria evitar a recomendação de vizinhos, amigos e parentes e confiar apenas nos profissionais da área médica.

Autor: André Vilela. (14 anos). Aluno do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: automedicar-se, indicação oculta.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *