1984 em 2020

Postagem : 6 de abril de 2020

A obra literária “1984” retrata uma realidade distópica em que as informações são controladas pelo governo através de um órgão intitulado “Ministério da Verdade”. De acordo George Orwell, o autor desse livro, “A massa mantém a marca, a marca mantém a mídia e a mídia controla a massa”. Através deste pensar, fica claro que a mídia possui amplo poder sobre a população, seja pela filtração de informações ou pela alienação da sociedade.

Primeiramente, vale ressaltar que o Brasil já possuiu uma espécie de “Ministério da Verdade”, o “Departamento de Imprensa e Propaganda”, que esteve ativo durante o período do Estado Novo. Para a ex-Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, “A imprensa que constrói uma democracia é a imprensa que fala o que quer, dá a opinião que deseja e  manifesta-se do jeito que bem entende”. Nessa perspectiva, é notável que a imprensa, uma poderosa forma de mídia vem sendo uma ferramenta de controle das massas, utilizada pelo governo, filtrando informações e gerenciando a opinião popular, indo de encontro ao modelo proposto pela ex-presidente. É inegável que esse vetor midiático trabalha com a negatividade e propagando tragédias com maior intensidade. Isso ficou evidente, ainda no começo do ano de 2020, com as frequentes divulgações midiáticas, sobre a pandemia do Coronavíus, como se fosse a Terceira Guerra Mundial.

Em segundo plano, é fato que uma considerável parcela do povo, por falta de conhecimento tem suas opiniões, facilmente, moldadas. Consoante ao pensamento do ex-Primeiro-Ministro do Reino Unido, Winston Churchill: “Não existe opinião pública, existe opinião publicada”. Nesse sentido, a opinião do povo, em geral, não passa de um fruto da influência midiática, o que abre espaço para a disseminação da pós-verdade. Em 2016, por exemplo, fóruns da internet propagaram a informação de que a senadora estadunidense, Hillary Clinton, era a líder de uma rede de prostituição e do tráfico infantil. Tal evento, mesmo sendo comprovado como falso, prejudicou sua candidatura à presidência dos Estados Unidos. Há, portanto, necessidade de a população averiguar informações transmitidas pelas mídias, a fim de evitar a manipulação.

Diante desses fatos, fica evidente a necessidade do pensamento crítico e da apuração das informações pela sociedade. Para tanto, o Ministério da Educação deve promover projetos que visem impedir a alienação do povo. Isso pode ocorrer, por exemplo, pela implementação, na grade escolar das aulas sobre atualidades, incluindo assuntos políticos e que gerem debates entre os alunos, criando cidadãos mais conscientes e capacitados para lidar com o mundo globalizado. Espera-se assim, que a sociedade seja mais livre e autônoma, menos controlada pela mídia e que a distopia de “1984” continue apenas no plano fictício.

Autor: Bruno Dias. Aluno do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: Os efeitos da quarentena com a chegada do coronavírus no Brasil.