A família moderna

Postagem : 17 de setembro de 2012

A família brasileira vem passando por grandes transformações. Ao compararmos os modelos de sociedade do século XIX com o do século XX, vislumbramos um novo perfil em que a mulher destaca-se no mercado de trabalho, trazendo mudanças significativas.

Vale registrar que no século XIX, a família era regida pelo modelo patriarcal. A mulher era submissa aos desejos do marido, seu papel se restringia à educação dos filhos e às responsabilidades domésticas. Vislumbrava-se ainda, nesse período, uma formação familiar clássica.

É importante avaliar também a evolução que se deu no século XX. A mulher ingressou, no mercado de trabalho, destacando-se em cargos de chefia, competindo igualmente com os homens. Com isso, optou por uma família menor, pois precisava cumprir uma jornada dupla, muitas vezes, sem apoio do marido. Cumpre salientar também, que essa mudança refletiu no comportamento do homem, pois antes era visto apenas, como provedor e hoje, precisa dividir nos cuidados com os filhos.
Deve-se questionar até que ponto essa evolução trouxe benefícios para a família. É preciso haver um equilíbrio. Não se deve descuidar da educação dos filhos e da convivência harmônica. Afinal, como disse Platão “Não deverão gerar filhos quem não quer dar-se ao trabalho de criá-los e educá-los”. Um bom começo seria cada um fazer a sua parte, homem e mulher, sem disputas, sem preconceitos, mas sim, famílias compartilhando alegrias, tristezas, visando ao bem comum. Desse modo, teremos uma sociedade fortalecida e preparada para a vida.

Sandra Ferreira Narciso