A oportunidade perdida

Postagem : 27 de outubro de 2011

Em toda a história do Brasil, o povo brasileiro viveu momentos de preocupação, de esperança e de um futuro promissor e não é diferente nos tempos atuais. Assim, muitos projetos devem ser analisados, realizados e as oportunidades não podem ser perdidas.
Em virtude dessas considerações, sabe-se que o Brasil, entre os séculos 18 e 19, foi uma colônia explorada pela metrópole, Portugal. Tudo encontrado com valor ambiental aqui, era visto, com valor econômico e fonte de lucro. Nesse período colonial, a exploração do pau-brasil e do ouro foi realizada sem técnica e sem previsões para o futuro brasileiro. Aliás, isso era de mínimo interesse para os colonizadores, no entanto essas atitudes trouxeram conseqüências econômicas, sociais e políticas para os dias de hoje em ambas nações.
Nesse contexto, é importante salientar que depois da independência e de seu intenso desenvolvimento das últimas décadas, o Brasil está atraindo a atenção de vários países do mundo. Além da Copa do Mundo de futebol de 2014, que fará o Brasil dar grandes passos de importância mundial, o Pré-sal brasileiro é o grande oportunismo para o país se desenvolver.
O petróleo, uma grande fonte de energia no século atual, é o maior desejo das potências mundiais, logo o Brasil tem a chance de ter um aproveitamento sobre isso. É importante sublinhar ainda que há um projeto de lei dos senadores Aloysio Nunes e Cristovam Buarque em relação a esse pré-sal. Essa proposta visa a investimentos na área educacional a partir da renda desse recurso brasileiro. É um projeto projetado à formação e ao futuro das novas gerações brasileiras.
No entendimento de Winston Churchill, “O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade”. A partir dessas ideias, é importante que o governo brasileiro aproveite essa oportunidade e faça um grande investimento cultural. O petróleo é brasileiro e não deve ser explorado apenas para se direcionar a outros países, como o ouro amarelo no passado. A falta de educação contribui para a ausência das atividades práticas de investimentos locais. Por isso, é necessário investir, principalmente, na formação dos jovens de hoje, para uma melhor utilização de nossas riquezas no futuro.
Mateus Furriel.

(Vestibulando. Pretende cursar Engenharia Civil. 18 anos).