A religião ideal

Postagem : 3 de setembro de 2013

Durante quase toda a história da humanidade, a religião fez-se presente e necessária na vida dos povos. É companheira fiel do homem que necessita depositar sua fé em algo superior, a fim de conseguir crer, tão somente, em um futuro mais próspero e feliz.

É importante ressaltar, por consequência, a definição de religião proveniente do verbo em latim religare, que significa religação, ou mesmo laço, entre o ser humano e o divino. Em vista disso, não há como ignorar, pois a magnitude da influência religiosa na qual os brasileiros estão submetidos. Convém citar, portanto, a recepção calorosa feita, por um país laico, ao Papa Francisco I, em que três milhões de pessoas celebraram, em clima de paz e alegria, a chegada do homem mais importante da Igreja Católica.

É inquestionável, entretanto, que a divergência de ideias provoca conflitos e a religião, por muita vezes, desune. Esta contradição é evidenciada pela própria história, quando milhões foram mortos pela Santa Inquisição, que condenava crenças diferentes das predominantes na Idade Média. Em acréscimo, é válido citar o poder exercido pela religião no governo e na economia de alguns países. Tal panorama caracteriza o conflito atual do Egito, no qual Mohamad Mursi se tornara um ditador, após deixar seus ideais religiosos governarem e não resolverem a crise do país .

É necessário priorizar, portanto, o respeito mútuo entre as crenças, visto que, deste modo o homem poderá atingir a paz com seu semelhante. Além disso, é fundamental saber que a religião ideal é aquela que torna o ser humano melhor, necessariamente, em caráter, conduta e cidadania.

André Barboza. Vestibulando.