Aperfeiçoamento Político Maquiavélico

Postagem : 8 de setembro de 2016

Fundamentações jurídicas abalam o atual governo brasileiro. Segundo a obra ‘‘O Príncipe”, de Nicolau Maquiavel : “ O líder de um sistema de governo deve ser dotado de sabedoria, rigidez e carisma “. Diante desse pensamento, observa-se que o Brasil tem sofrido arduamente com a falta de preparo dos candidatos a presidência, fundamentando assim,  um prejuízo no patamar socioeconômico do país.

É indubitável que o poder do voto é uma característica nobre da democracia. A expansão desse poder pode ser notada na Era Vargas, em 1930, em que as mulheres conquistaram o poder no voto, tendo oportunidade de se manifestar em relação à política. Embora o processo de votação seja de total importância, a população se mostra hoje, desmotivada para eleger seu candidato. O fato da desconfiança atribuída à política brasileira acarreta a banalização do poder do cidadão e, por isso, um grande índice de votos nulos.

Outrossim, destaca-se o episódio atual da presidência. A carência da sabedoria, citada por Nicolau Maquiavel, pode ser notada nos políticos brasileiros, que preferem a indigência nacional ao invés de uma formal revolução política. O termo “Golpe Político” já é utilizado por estudiosos estrangeiros, que criticam a falta de ética de políticos da base oposta ao governo atual, já que são a favor da renúncia ilegal de um governo constitucionalmente legítimo e sofrem processos de cassação, não sendo assim, um exemplo de líder digno para presidir qualquer país.

Entende-se, portanto, que para solucionar o impasse, de acordo com a ideologia maquiavélica, é imperioso que a mídia, principal influenciadora da sociedade, seja imparcial a temas políticos, fazendo transmissões em tempo real e mostrando a verdadeira intenção dos governantes do Brasil. Além disso, é aconselhável que o Governo Federal aplique como disciplina, na grade estudantil, leis básica da Constituição, a fim de que novas gerações se tornem melhores candidatos e eleitores. Dessa forma, a administração brasileira será gradativamente aperfeiçoada.

Fundamentações jurídicas abalam o atual governo brasileiro. Segundo a obra ‘‘O Príncipe”, de Nicolau Maquiavel : “ O líder de um sistema de governo deve ser dotado de sabedoria, rigidez e carisma “. Diante desse pensamento, observa-se que o Brasil tem sofrido arduamente com a falta de preparo dos candidatos a presidência, fundamentando assim,  um prejuízo no patamar socioeconômico do país.

É indubitável que o poder do voto é uma característica nobre da democracia. A expansão desse poder pode ser notada na Era Vargas, em 1930, em que as mulheres conquistaram o poder no voto, tendo oportunidade de se manifestar em relação à política. Embora o processo de votação seja de total importância, a população se mostra hoje, desmotivada para eleger seu candidato. O fato da desconfiança atribuída à política brasileira acarreta a banalização do poder do cidadão e, por isso, um grande índice de votos nulos.

Outrossim, destaca-se o episódio atual da presidência. A carência da sabedoria, citada por Nicolau Maquiavel, pode ser notada nos políticos brasileiros, que preferem a indigência nacional ao invés de uma formal revolução política. O termo “Golpe Político” já é utilizado por estudiosos estrangeiros, que criticam a falta de ética de políticos da base oposta ao governo atual, já que são a favor da renúncia ilegal de um governo constitucionalmente legítimo e sofrem processos de cassação, não sendo assim, um exemplo de líder digno para presidir qualquer país.

Entende-se, portanto, que para solucionar o impasse, de acordo com a ideologia maquiavélica, é imperioso que a mídia, principal influenciadora da sociedade, seja imparcial a temas políticos, fazendo transmissões em tempo real e mostrando a verdadeira intenção dos governantes do Brasil. Além disso, é aconselhável que o Governo Federal aplique como disciplina, na grade estudantil, leis básica da Constituição, a fim de que novas gerações se tornem melhores candidatos e eleitores. Dessa forma, a administração brasileira será gradativamente aperfeiçoada.

Autora: Hellen Viana de Souza. Vestibulanda de 2016. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães.