Barbaridade militar

Postagem : 6 de outubro de 2014

Passaram-se 50 anos do golpe militar de 1964 e ainda há, no Brasil, rastros da ditadura que se perpetuam sobre o país. Sabe-se que a Comissão da Verdade foi criada com o objetivo de investigar crimes cometidos pelo Estado brasileiro. Entretanto, ainda não houve punição de nenhum militar envolvido nas atrocidades.

Em primeiro plano, vale lembrar que a ditadura militar foi um período de terror vivido pelo país entre os anos de 1964 e 1985 e pessoas foram mortas e torturadas pelas autoridades governamentais. A exemplo disso, pode-se citar o caso da jornalista Mírian Leitão que, em entrevista, afirmou ter sido torturada, estuprada e presa ao lado de uma cobra por militares.
Além disso, em virtude de todos os ocorridos, surgiu a Comissão da Verdade. Trata-se de uma comissão composta por um grupo de juristas e professores encarregados de realizar investigações sobre os vários crimes cometidos pelo Estado há 50 anos. Porém, no Brasil, ainda não houve punição de nenhum militar, pois os repressores são defendidos pela Lei da Anistia a qual perdoou todos os crimes cometidos na época.

Dentro desse contexto, é oportuno citar as palavras ditas por Jean Paul Satre: “A violência, seja qual for a forma como ela se manifesta, é sempre uma derrota”. Evidentemente, todo o ocorrido, a partir do ano de 1964, foi uma barbaridade, que apenas gerou desgraças e, por isso, torna-se um absurda a impunidade dos criminosos.

Portanto, seria justo por fim à Lei da Anistia e punir os agressores. É válido ter como base o pensamento de Jorge Amado, “A ditadura só conduz ao feio e sujo, mas o brasileiro típico é decente e limpo”. Sendo assim, a Comissão da Verdade prestaria esclarecedor serviço se trouxesse à população, não apenas fatos individualizados, mas também a verdade a respeito da dominação de uma classe poderosa, nacional, associada à multinacional que, sob a égide do poder discricionário dos militares, tranquilamente realizou objetivos corporativos.

João Marcos Costa – Vestibulando de Medicina.

Tema: 50 anos depois do golpe de 1964, a ditadura militar ainda incomoda o país.