Caos mundial

Postagem : 23 de maio de 2016

Durante o primeiro semestre de 2015, houve uma grande leva de imigração de povos muçulmanos para países europeus. Duas são as principais razões para esse fenômeno: a instabilidade política provocada pelas guerras civis, sobretudo, pela guerra civil na Síria e a recusa de outros países muçulmanos. O fato é que o surto migratório representa uma grave crise de teor ético e político.

Para muitos, a imigração é uma oportunidade para ser alguém, realizar o desejo de enviar dinheiro para casa e o caminho para a educação. Com isso, milhares de homens pagam com a vida o seu sonho na arriscada travessia pelo Mar Mediterrâneo até a Europa. Viagens, em barcos de madeira, tornaram-se um negócio lucrativo e impiedoso e visto como uma das únicas formas de chegar ao território europeu.

As decisões de cada nação em aceitar ou não os refugiados levam à discussão de muitos especialistas que acompanham o fluxo migratório. Uma delas diz respeito à capacidade de países, em plena crise econômica, como a Grécia para acomodar, dar emprego e assistência social a milhares de imigrantes. Outra refere-se à divergência cultural entre muçulmanos e europeus, como o uso da língua árabe como língua sagrada, o estudo do alcorão e a prática das orações públicas diárias.

Há ainda a preocupação com as ligações possíveis que grupos terroristas, como a Al-Qaeda e o Estado Islâmico que podem estabelecer-se como indivíduos infiltrados entre os imigrantes. Não há como não se alarmar com o aumento do índice de práticas xenofóbicas em países da Europa, porém a Alemanha concedeu refúgio a 65.075 pessoas.

É necessário unir forças para acabar com os problemas sociais e políticos que fazem todas essas vítimas abandonarem seus países em busca de paz. Espera-se que a ONU Organização das Nações Unidas, como defensora da população mundial, atue de forma mais efetiva nesta causa. Ainda é de extrema importância a ação dos governos mundiais de forma colaborativa para que ninguém fuja do caos de sua pátria.

Cecília Chagas Freitas. Vestibulanda 2016. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães

Tema: Crise dos Refugiados do século XXI: questões políticas e humanitárias.