Comportamento selvagem

Postagem : 20 de setembro de 2020

O Brasil encontra-se em um momento de extrema delicadeza. Com a pandemia da Covid-19. É de suma importância atentar-se às possíveis epidemias futuras, podendo gerar uma nova pandemia em breve. Gonçalo Vecina, ex-presidente da Anvisa, alerta sobre os vírus da Amazônia e, entre eles, o Sabiá, que apresenta grande letalidade. Entretanto, como esses vírus poderiam se disseminar entre a população? A resposta é simples: desmatamento e destruição do habitat natural dos animais, fazendo-os abrigarem-se cada vez mais perto da área urbana.

A diversidade da fauna brasileira é mundialmente famosa, atraindo turistas de todas as partes do mundo. Essa beldade natural, além de ser um grande símbolo do Brasil, também ajuda a movimentar a economia devido aos visitantes. O privilégio de abrigar tantos animais de beleza rara, no entanto tem se desmanchado, rapidamente, devido às queimadas nas florestas, colocando em risco a vida dos animais habitantes do local. Os madeireiros e grileiros que insistem em destruir o patrimônio natural parecem sair imunes, além de não entenderem o que tais tragédias possam desencadear em um futuro próximo. A preservação das matas brasileiras pode e deve ser levada a sério, para que haja proteção dos bens nacionais e também visando eliminar possíveis riscos à saúde da população.

As queimadas, desmatamentos e invasões no território amazônico não apenas prejudicam os animais, mas também o povo indígena que utiliza os recursos naturais para a sua sobrevivência. Sem esses apoios, corre-se o risco da perda de mais uma herança histórica brasileira. No ano de 2020, as queimadas aumentaram em torno de 120% em relação ao ano de 2018. É preocupante o fato de que os governos não têm dado a devida atenção às áreas protegidas, quase permitindo que os crimes ambientais sejam cometidos, deliberadamente, sem consequências para quem os faz. A natureza, portanto, jamais esquecerá e logo cobrará à humanidade, de maneira mais rigorosa, toda crueldade praticada. O ser humano mostra-se hoje mais selvagem do que o próprio animal.

O reforço das leis contra o desmatamento ilegal deve ser feito com urgência. O Governo Federal junto às organizações de proteção à Amazônia precisam aumentar a fiscalização, para que os infratores das leis obtenham a devida punição. A sociedade brasileira deve unir-se, para que o projeto do Ministro do Meio Ambiente, que visa diminuir o desmatamento até 2030, seja adiantado para o menor tempo possível. As florestas estão perdendo a sua cor, vivacidade e as vidas as quais abraçam. Não há mais tempo a perder.

Autora: Maria Eduarda Gomes. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: A Amazônia está iluminada pelas chamas.