Compromisso profissional

Postagem : 23 de outubro de 2012

O comprometimento com a saúde de todos é vital. Mas, por um lado, vê-se que há médicos que demonstram sua falta de compromisso com os pacientes. Por outro, há os que mostram o verdadeiro significado da medicina, assim como a importância do Estado que vem criando novas ações e programas para a sociedade.

É importante acenar para o fato de que historicamente a medicina sempre foi uma profissão de respeito, porém atualmente o descaso está sendo visível. É bem verdade que há jovens que escolhem esta carreira por “status”, por ambição e, consequentemente, quando formados, cometem erros fatais. Como se vê, um desses exemplo é o esquecimento da anamnese, isto é, a falta de diálogo entre médico e paciente, o que dificulta o diagnóstico, na maioria dos casos, pois o cotidiano do paciente influencia diretamente em seu organismo. Isso mostra como a escolha e o comprometimento ético e profissional são importantes para a cura do paciente.

Paradoxalmente, a medicina carrega consigo vários mestres na cura. Um bom exemplo atual é o médico Drauzio Varella, que em seu livro “Por um fio”, retrata diálogos e histórias de pacientes que, por meio de seu apoio, conseguiram se salvar até de um câncer terminal. É bom lembrar também sobre as ações do Ministério da Saúde, que com os programas Farmácia Popular e o Banco de Leite Humano trazem benefícios à população, ampliando a possibilidade de saúde para todos.

De modo geral, sabe-se que a escolha de uma profissão pode influenciar no bem estar social, assim como a boa vontade e o compromisso ético na escolha profissional. Além disso, não se pode esquecer que segundo a Constituição Brasileira, todos têm direito à saúde. É bom ressaltar ainda, sobre o avanço da Medicina, com o Testamente Vital, que é um documente pessoal, com o objetivo de fazer valer a escolha, quanto ao tratamento médico, diante de um quadro terminal, que agora é vigente no Brasil. Sendo assim, o paciente mesmo perto da morte, pode escolher não a eutanásia, mas a renúncia de um tratamento final doloroso. Logo, o respeito ao doente deve ser o foco maior da Medicina.

Ana Maria Monteiro Chagas. Vestibulanda. Pretende fazer Medicina.