Convergência do desenvolvimento

Postagem : 18 de janeiro de 2013

A questão político-social do Brasil sempre esteve em debate. Nosso desenvolvimento é representado e caracterizado por uma série de fatores que nos levam a uma economia qualificada. Pode-se observar ainda que a política é uma das ferramentas mais importantes para a logística dos recursos em que se governa.

A partir desse viés, vale ressaltar que o Brasil é a única democracia do planeta onde, ao mesmo tempo, o Produto Interno Bruto cresce, as distâncias sociais diminuem, a qualidade de vida melhora e a alternância do poder é assegurada por regulares eleições democráticas. É verdade que o país também apresenta problemas como as gritantes desigualdades socioeconômicas, falta de infraestrutura, criminalidade difundida e a corrupção. Porém, paradoxalmente a isso, temos vantagens, como a alegria, a social-democracia, a sensualidade, o acolhimento e o pacifismo na sociedade brasileira.

Nesse contexto, é correto assinalar que o Brasil não pode repetir com o dinheiro dos “royalties” do petróleo, o erro cometido com o ouro e a prata há quase 200 anos. O resultado foi que financiamos, no passado, a industrialização da Inglaterra e continuamos a ser um país atrasado. É de grande destaque ainda que o petróleo é uma riqueza não renovável muito vantajosa e com isso, devemos fazer a gestão desses recursos para o melhor desenvolvimento do país. Sendo assim, o brasileiro deve ter mais senso
crítico para exigir dos nossos políticos mais zelo com a gestão desses recursos naturais.

O importante é que devemos buscar as melhorias para que o Brasil não seja o país dos BRICS que menos evolui. O primeiro passo deve partir dos governantes, os quais devem cumprir suas promessas e seguir seus governos com ética e respeito ao povo e assim, combater também a corrupção. Como na Canção do Exílio: “Nossos bosques têm mais vida…”, devemos olhar para o futuro com autoconfiança e alegria. O futuro precisa ser agora.

Luana Ribeiro da Silva Rangel. Pretende fazer Medicina.