Cultivar o equilíbrio social

Postagem : 17 de outubro de 2011

A convivência, nos dias atuais, é global. As nações se posicionam interligadas umas às outras e, partindo dessa logística, tal relação pode trazer benefícios ou até mesmo gerar conflitos a todos.
É importante sublinhar que a atual crise dos Estados Unidos era algo impensável de acontecer. O governo, ao longo dos anos, adotou medidas, como o gasto excessivo para financiar guerras e ações militares que trouxeram como conseqüências, o endividamento econômico. Fica evidente que os norte-americanos não souberam fazer a gestão adequada o que afeta de forma direta a economia mundial. Outro importante ponto a ser destacado diz respeito à China, já catalogada como uma das próximas potências econômicas, que não soube fazer perspectivas para seu futuro e está se tornando um país com um imenso número de idosos. Ou seja, o país corre o grande risco de ficar velho antes de rico. Em verdade, isso se deve à política do filho único, adotada pelo governo para controlar a natalidade, há poucas décadas. Sendo assim, essa ação contribui para um déficit de profissionais disponíveis para trabalharem no país na atualidade.
Vale ressaltar também, que a crise atingiu países europeus como Portugal, Irlanda, Itália, Grécia e Espanha denominados PIIGS. Essas nações, ao decidirem socorrer setores da economia, que estavam em risco de falência, terminaram por endividar-se. A questão central, é que eles não souberam administrar devidamente a sua moeda, o Euro. Seguindo esse raciocínio, essa crise europeia evidencia que, em tais países, a convivência harmoniosa não foi projetada para uma possível estabilidade social e econômica.
Diante desse contexto, sabe-se que ninguém é uma ilha e todos devem procurar viver juntos de forma harmônica e fraternal, como já pregava o grande líder Mahatma Gandhi, que lutava em prol da conquista da paz e da harmonia. Em virtude de todas essas considerações, nota-se que, ao contrário, o Brasil apresenta-se no cenário mundial como país emergente, no qual a classe C está progressivamente em ascensão e, concomitantemente, possibilitando que o mesmo ocorra com as classes D e E. É um exemplo que pode ser seguido para tantos conflitos na atual convivência planetária.

Maria Carolina de Souza Toledo Paes.
(16 anos. Cursa o 2º ano do Ensino
Médio e pretende cursar a faculdade
de medicina).