Dose Certa

Postagem : 19 de dezembro de 2012

A sociedade, nas últimas décadas, mudou de forma avassaladora. Diante disso, observa-se que o convívio se transformou de forma absurda, com consequências que levaram os últimos anos a marcar época na sociedade pelas consequências globalizadas.

Não resta dúvida de que as relações humanas que, antes se perpetuavam e se solidificavam, com o tempo, estão cada vez mais inconsistentes e fluidas com o uso da internet. Como assinalou o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, um dos intelectuais mais respeitados da atualidade, o que mudou foi a “modernidade sólida”, que cessa de existir e, em seu lugar, surge a “modernidade líquida”, com relacionamentos intangíveis, na vida familiar, nos grupos de amigos, nas afinidades políticas, sem consistência, quiçá estabilidade.

Curiosamente, a tecnologia que traz a facilidade no descarte de relacionamentos, com a simples tecla “delet”, por outro giro, estreita os laços entre as nações e transpõe as barreiras entre as diferentes culturas, traz cidadania, retira das profundezas
a encoberta ditadura e faz eclodir a democracia. A transmissão ao vivo do julgamento do mensalão é um marco histórico e retrata bem o uso adequado das redes de comunicação.

Não é difícil entender que a diferença entre o veneno e o remédio está na dose. Seria desejável que, nesse admirável mundo novo, as sociedades globais aperfeiçoassem as influências do mundo líquido, para que a vida fosse reinventada para os direitos
humanos, para a ética e para a paz.

Mônica Bento Oliveira Povoa. Alvo: concurso público na área jurídica.