Educação no trânsito

Postagem : 23 de agosto de 2014

O trânsito no Brasil, apesar do progresso, ainda continua deficiente e necessitando de melhorias. No entanto, já existem alguns países desenvolvendo tecnologia para ter aperfeiçoamento na mobilidade urbana.
Sabe-se que Amsterdam, a capital da Holanda, possui mais bicicletas do que carros, fazendo com que a locomoção de um lugar para o outro seja mais rápida e saudável. Além disso, a capital da Finlândia, a cidade de Helsique, irá reformar o sistema de transporte público, com o objetivo de diminuir a quantidade de veículos particulares. Tudo indica que será criado um aplicativo para os “smartphones”, com a finalidade de mostrar as opções mais rápidas de transporte para o destino desejado e assim, a mobilidade urbana sofrerá melhorias expressivas.
É preciso reconhecer que os grandes centros urbanos brasileiros possuem congestionamentos, os quais com o passar dos dias, só está aumentando. O resultado desse trânsito caótico é que custa muito dinheiro, prejudica a saúde e o meio ambiente com os gases emitidos. O governo brasileiro diminuiu o preço do carro, porém não investiu em infraestrutura, logo esta situação contribui para os engarrafamentos, dificultando a locomoção da sociedade.
Não há dúvida de que o Brasil pode ter estratégias para mudar a educação no trânsito. É preciso que os governantes voltem a cobrar impostos, na compra do carro, para que o dinheiro seja investido em infraestrutura, além de aprimorar o transporte público e incentivar o uso de bicicletas. Assim, a mobilidade urbana no Brasil, certamente, será melhor em relação a que é oferecida hoje.

Patrícia Damião Gomes. Vestibulanda.

Tema: Como fomentar a cidade e a inclusão social, por meio dos transportes públicos coletivos no Brasil?