Escrita evolutiva

Postagem : 15 de setembro de 2015

A escrita à mão tem tornado, cada vez mais rara, devido ao aumento das plataformas digitais. Diante disso, a caneta começa a entrar em extinção, dando lugar às teclas da tecnologia, mas com alguns problemas de linguagem.

A evolução dos códigos de comunicação teve início com os desenhos, depois na madeira e nas pedras e, mais tarde, as penas e hoje, com as canetas e grafites que tomaram seus lugares. É importante considerar que os teclados já estão entrando para essa escala evolutiva, ocasionando mudanças radicais na educação, por exemplo. Em alguns países, como a Finlândia, a alfabetização já está sendo feita com o auxílio dos “tablets”, modificando o desenvolvimento do letramento dos alunos.

A letra é um retrato da personalidade dos indivíduos. No primeiro semestre de 2015, rodou nas redes sociais uma campanha para que os usuários conhecessem as letras uns dos outros. Esse ato alcançou um grande público e ocasionou um aumento no desenvolvimento da escrita e do moral dos participantes. Além disso, chamou a atenção para a necessidade do conhecimento da língua falada, mostrando que devido ao excesso de digitação com corretores, os erros de gramática aumentaram.

A escrita, portanto, é essencial para o avanço humano, mas a caneta e o teclado podem e devem andar juntos. Já dizia Ferreira Gullar, que “Em uma folha em branco, tudo pode acontecer, seja à mão ou por uma impressora”. Visto isso, o encanto pelo desenho livre não deve acabar, mas considerar também a evolução do processo da escrita, não deixando para trás, suas raízes, como o ensino com lápis, borracha e papel.

Carolina Gomes. Vestibulanda.

Tema: A escrita é um código de comunicação determinado pela sociedade e deve obedecer às regras para ser compreendida por pessoas em lugares e épocas diferentes.