Exercício Ipiranga

Postagem : 13 de julho de 2014

O Brasil está a caminho de mais uma demonstração de democracia. Em razão disso, convém notar que, segundo as estatísticas, a juventude recente está desmotivada e, talvez, sem esperança com o futuro do Brasil. Isto afeta o voto fazendo com que sua importância seja irrelevante, porém torna-se cada vez mais necessária.

É importante ressaltar que, após um ano dos protestos, quando os cidadãos de todas as idades foram às ruas exigir os direitos humanos, chega o momento em que o protesto é na urna. Contudo, o futuro do país, que é a população mais jovem, em geral, está desinteressada para votar. Convém não se esquecer de que a juventude sofre com as influências políticas e poucos estão vivendo isto a todo momento atentamente. Em verdade, é também a população jovem a mais confusa, por atuar com inexperiência, na área da política, na qual muito é escondido, muito é prometido e pouco executado.

A internet é muito importante na sociedade atual, pois promove encontros, desencontros e diversos movimentos que unem o tecido social em prol de uma causa popular. O irônico é que a rede conectada é também a grande responsável pelo sedentarismo dos jovens, mas por outro lado, há um grande argumento no ciberativismo: há pessoas novas, ativas e conectadas, na rede, prontas para protestar. Nesta mesma direção, é importante reconhecer os jovens que foram às ruas se manifestarem pelo seu presente e pelo futuro. Se a partir de 18 anos, o voto é obrigatório, é possível começar a fazer mais, antes e durante as eleições, decidindo cada um pelo futuro desejado, sem deixar que falem ou decidam pelos mais jovens.

Diante deste cenário, o voto é importante, assim como as manifestações. A família, a Igreja e a escola são responsáveis por darem o conhecimento político ao jovem, pois exercer a cidadania será cada vez mais difícil, sem o conhecimento político. O brasileiro jovem necessita ainda levantar do berço esplêndido e marchar em busca da ordem e do progresso. O povo deve mostrar sua voz como, um dia, Dom Pedro I fez às margens do rio Ipiranga.

Júlia Bessa da Silva. Vestibulanda.