Falta de cidadania

Postagem : 27 de abril de 2014

A intolerância social mostra-se bastante acentuada no Brasil. É importante ressaltar que apesar do grande machismo da sociedade brasileira. tão discutido, há o chamado preconceito de classe social que, muitas vezes, é esquecido e pouco falado.

Vale lembrar que, recentemente, o Instituto de Pesquisa Econômico Aplicada Ipea publicou uma pesquisa, em que 26% da população brasileira concordavam com a afirmação de que “Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”. O resultado disso é o descortinamento do preconceito nacional, que permite a interpretação de que existiria um direito de violentar alguém.

Por outro lado, com a ascensão das classes C e D, no Brasil, tornou-se comum a inserção de pessoas em lugares, antes vistos apenas no imaginário social. É verdade que este panorama gerou falta de respeito às diferenças sociais. Como salienta o antropólogo Darcy Ribeiro “As diferenças profundas que separam e opõem os brasileiros em extratos flagrantemente constratantes são de natureza social”. Isso sugere que o preconceito de classes é o responsável por separar a sociedade.

O Brasil mostra-se machista e preconceituoso em alto grau. Não é admissível que a sociedade brasileira não demonstre o valor ético e a nobreza de ideais justos, para com o próximo. É preciso que haja um compromisso com valores morais, uma vez que o preconceito leva à discriminação, à marginalização e à violência. Caberia ao governo fomentar a ideia de melhor educação, para assim, conscientizar à população sobre a prática da cidadania plena. Não há dúvida de que se pode transformar este panorama retroalimentador, do preconceito em um modelo de transformação cultural e elaborar uma melhor logística para a cidadania e o bem-estar social no país.

Mayara Cremoneze Xavier. Vestibulanda.