Futuro mais iluminado

Postagem : 7 de setembro de 2012

A sustentabilidade mundial está atualmente comprometida. A verdade é que existe uma crise no meio ambiente e na produção de alimentos que se não for solucionada, o mais breve possível, prejudicará as gerações vindouras.

A gravidade do tema é que há uma sociedade viciada em compras, pois os países estão comendo mais, principalmente os emergentes, como a China, a Índia e o Brasil, onde vive uma parcela de 30% da população mundial. Além de comer mais, a população dessas nações está se tornando mais urbana. Isso implica maior produção de comida para
atender às cidades. Neste sentido, tudo leva a crer que o mundo está voltado para a economia e o consumo e não para o bem estar social.

Outra questão essencial é a ação do clima sobre os preços dos alimentos. Deve-se lembrar que as temperaturas elevadas deflagraram focos de incêndios em várias regiões dos Estados Unidos e da Espanha. Isso evidencia que os fatores naturais atrapalham a produção agrícola, em grande parte dos países, reduzindo a oferta de comida. Inclusive, ocorreu, recentemente, a Rio + 20 no Brasil, com uma grande oportunidade de se discutir a sustentabilidade planetária, entretanto, potências como, os Estados Unidos e
a Alemanha não se comprometeram com soluções. Como se observa, a paz e a estabilidade mundial estão abaladas.

Diante disso, vê-se que a sobrevivência das próximas gerações depende da atual sociedade pós-capitalista. O mundo não é só para o consumo. É hora de pensar em uma terceira via econômica, já que o capitalismo e o socialismo demonstraram-se insustentáveis. Caetano Veloso aponta que “Gente é pra brilhar, não para morrer de fome”, logo é necessário que o homem seja um consumidor consciente e se importe com o futuro de sua descendência. Além disso, deve-se lançar luz sobre a necessidade de união, entre os países, visando ao meio ambiente para assim, ter a garantia de um futuro consciente em relação à sustentabilidade planetária.
Lorena Barros. 20 anos. Vestibulanda. Pretende fazer Medicina.