Gestão de Emprego

Postagem : 17 de junho de 2012

Ter um ofício no mundo globalizado requer competências singulares. É bom lembrar que a situação na Europa é preocupante diante dos outros países do planeta e a crise econômica pode atingir outras nações periféricas.

É necessário assinalar que o número de desempregados jovens na Espanha e na Grécia chegou a mais de 50% e isso acarreta instabilidade na economia e diminui
a circulação monetária em outros países. Esse quadro pode causar uma dificuldade para as economias emergentes, pois o mundo está em intensa interação, isto é, uma economia depende da outra para se manter e desenvolver. Nota- se assim, que a atividade profissional é questão de extrema preocupação no mundo globalizado.

É importante ressaltar ainda a situação do Brasil no cenário mundial. O incentivo de trabalho em setores que não exigem muita qualificação é uma forma de manter o trabalhador recebendo e consumindo para a articulação da economia local. Contudo, o país não oferece qualidade de ensino para toda a população, impossibilitando à maioria da sociedade atingir um bom emprego no mercado de trabalho que é cada vez mais exigente. Desse modo, há pessoas que se submetem a condições
de emprego sub-humanas, atuando no trabalho escravo, embora se saiba que o ofício digno é que dirige o homem a uma vida melhor.

A habilidade profissional torna, sem dúvida, o indivíduo apto para alcançar uma vaga no mercado concorrido. Em virtude dessas considerações, é preciso que haja
um diálogo entre os países que enfrentam crises econômicas, para que os jovens sejam aceitos em um emprego. Além disso, é necessária a educação para qualificar os profissionais e retirar as pessoas da linha da pobreza. Como assinalou Washington Luís: “Governar é abrir estradas” e, nessa abordagem, é prudente que a gestão governamental seja cumprida com rigor, para garantir a todos os direitos trabalhistas propostos por lei.

Fernanda Santos Azevedo (vestibulanda)