Impactos dos jogos eletrônicos

Postagem : 22 de agosto de 2022

O uso demasiado de videogames é um hábito que vem causando impactos sociais e psicológicos sem precedentes nos jogadores. Neste contexto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) já reconhece como distúrbio de “games” a patologia causada por esta perda de controle sobre o uso dos jogos eletrônicos. Logo, surge o questionamento: até onde são saudáveis as brincadeiras virtuais?

Deve-se reconhecer que a priorização da diversão em detrimento de outras atividades é uma característica da sociedade pós-moderna e o uso excessivo de videogames é reflexo disso. Acerca desta lógica, a indústria de jogos eletrônicos cresce cada vez mais. Cerca de 69% dos usuários de internet brasileiros fazem parte do mundo dos “games”. Diante disso, a imposição de limites para esta prática é necessária para a utilização benéfica dos jogos.

Registre-se ainda que o vício em videogames possa causar uma série de consequências psicossociais para os usuários como: a depressão, a ansiedade e o prejuízo nas relações sociais. Sob esta ótica, diversos países vêm adotando medidas para prevenir a dependência dos jogos eletrônicos, a exemplo da China que limitou a quantidade de horas que uma criança pode jogar. Dessa forma, percebe-se como o controle do tempo gasto com as telas reduz os impactos negativos dos “games”.

Infere-se, portanto, que os jogos eletrônicos devem ser consumidos com parcimônia, a fim de impedir implicações sociais e psicológicas negativas aos jogadores. Para tal, medidas governamentais como a tomada pela China são essenciais para impedir a demasia do uso de videogames. Além disso, os próprios usuários devem se conscientizar sobre os malefícios do excesso dos jogos e reduzirem sua prática para o limite saudável. Assim, o distúrbio dos “games” será freado e os jogos poderão ser aproveitados sem causarem prejuízos.

Autora: Monara Abreu Menezes

Tema: Vício em videogame e suas implicações sociais e psicológicas.