Importância da coletividade

Postagem : 15 de junho de 2012

A convivência interativa é vital para uma sobrevivência com cidadania. Como já dizia o poeta inglês John Donne: “Nenhum homem é uma ilha, isolado em si mesmo; todos são parte do continente”. Partindo desse pressuposto, entende-se que a sociedade deve se preocupar mais com o coletivo, pois ninguém faz nada sozinho.

Diante desse contexto, é preciso ressaltar que a população está se tornando extremamente individualista, visando somente a benefícios individuais  sem se preocupar com o próximo. Nessa abordagem, é importante sublinhar que a pobreza é uma das maiores tragédias no mundo e que as pessoas estão, cada vez mais, fechando os olhos para esta triste situação.

A proposta do novo Código Florestal Brasileiro é  também um exemplo dessa falta de união entre as pessoas. Os ruralistas querem aprovar leis que irão danificar severamente o meio ambiente. Nesse caso, os latifundiários não estão pensando na destruição que a natureza sofrerá e nem nas próximas gerações, que viverão em um mundo com poucas árvores.

Além disso, é preciso destacar a visão individualista da Alemanha que se recusa ajudar financeiramente os países europeus diante da crise econômica. A atitude do governo alemão não foi pensando na coletividade, mas sim, no singular. Se os países se unissem e se ajudassem mutuamente, provavelmente, esse abalo econômico, na zona do euro, seria superado mais facilmente.

É importante relembrar  o poeta, João Cabral de Melo Neto que  nos alerta: “Um galo sozinho não tece a manhã”. Logo, é preciso haver  maior preocupação com a coletividade, por parte da população, pois só desse modo, serão deixadas importantes heranças sociais para as gerações futuras.

Tiago SeikiGushiken Petrucci (16 anos. Pretende fazer faculdade de Medicina)