Legado da humanidade

Postagem : 6 de setembro de 2015

Observa-se, nas sociedades pós-modernas, uma mudança radical na escrita. Em um mundo hiperglobalizado e hiperconectado, como o atual, vê-se que a escrita manual está sendo substituída pela digital por meio dos teclados.

Diante desse panorama, ao analisar o passado histórico da escrita, entende-se que essa transição é fruto do progresso do homem. Há mais de cinco milênios, a pintura rupestre surgiu como a primeira forma de registro elaborada pelo ser humano. Com o passar do tempo, as civilizações antigas iniciaram o desenvolvimento do processo de escrever, como a escrita cuneiforme, criada pelos mesopotâmicos. Além disso, durante a Idade Média, houve a criação da prensa de Gutenberg. Em verdade, todos esses avanços foram imprescindíveis para que a comunicação se tornasse tão inovadora como a atual.

Ainda merece destaque a situação da Finlândia, ponta de lança do ensino moderno, onde a caligrafia será abolida do currículo nacional em 2016. Tal circunstância é um reflexo de uma sociedade altamente adaptada aos computadores, na qual a tecnologia está entranhada e a caligrafia tornou-se secundária. Vê-se que, na contemporaneidade, digitar com fluência é competência essencial no mercado de trabalho.

Em vista disso, a sociedade assiste ao progresso da humanidade e dos meios de comunicação e se despede da caneta, do papel e da forma tradicional de escrever. Em verdade, o homem adota a escrita digital, devido a sua praticidade, diante dos tempos líquidos vividos hoje. Porém, a escrita é um legado da humanidade, algo que levou anos para ser desenvolvido e aprimorado, e não deveria ser extinta nem substituída. Apesar da modernidade e das exigências do mundo contemporâneo, o teclado e o lápis ainda poderão coexistir em harmonia.

  Isabela P. B. Fassbender. Vestibulanda.

Tema: A escrita é um código de comunicação determinado pela sociedade e deve obedecer às regras para ser compreendida por pessoas em lugares e épocas diferentes.