Machismo histórico

Postagem : 15 de junho de 2015

A violência e a discriminação contra a mulher são aspectos que ainda hoje estão presentes na sociedade. Mesmo, em um mundo hiperglobalizado e pós-capitalista, como o momento contemporâneo, as diferenças entre homens e mulheres permanecem. Tal situação é extremamente retrógrada e inadmissível.
Percebe-se que o preconceito contra a mulher acompanha a história da humanidade. Durante a Idade Média, elas eram classificadas como bruxas, prostitutas ou santas e muitas morreram injustamente no período da Santa Inquisição. Além disso, houve pensadores famosos e figuras históricas que também apresentaram ideologias machistas, como Nietzsche, Proudhon, Kant e Napoleão.
Registre-se ainda que, em certos países principalmente do mundo oriental, a violência contra a mulher é como se fosse um direito nato de todo homem. Nesses lugares, as mulheres podem ser apedrejadas, em praça pública ou então são proibidas de andar desacompanhadas por um homem, como na Arábia Saudita. Em certos casos, são até mesmo atingidas por ácido, um ato totalmente desumano.
É importante citar, ainda, a recente questão da Câmara dos Deputados do Brasil, em que um dos representantes políticos demonstrou uma posição extremamente machista ao afirmar que a mulher que participa da política como o homem, também deve apanhar como um homem.
Diante de fatos tão chocantes como esses, é evidente que algo deve ser feito para alterar essa realidade. Toda população feminina deve se unir para reivindicar seus direitos, assim como fez, por exemplo, a adolescente paquistanesa, Malala Yousafzai, que se tornou símbolo da luta pela educação feminina. Além disso, todas as instituições como a família, a escola e a Igreja devem ensinar o respeito às diferenças de gênero, para que as próximas gerações não sofram com essa discriminação. Martin Luther King já afirmara: “Aprendemos a voar como os pássaros e a nadar como os peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos”. Para que isso aconteça, esse machismo histórico deve ser extinto definitivamente.

Isabela P. B. Fassbender. Vestibulanda.

 

Tema: Preconceito e discriminação: as bases da violência contra a mulher.