Natureza integrada

Postagem : 4 de outubro de 2015

Todos os fenômenos da natureza estão, irremediavelmente, correlacionados. É preciso ter em mente que agressões, em qualquer parte do planeta, reverberam em todo o globo. Em suma: o isolacionismo é uma ilusão e o El Niño é um bom exemplo de como todos são afetados por um único fenômeno.

No mês de julho deste ano, registrou-se a maior temperatura da Terra desde o início das medições. Não é de se espantar que o oceano Pacífico sofre um aquecimento anormal em suas águas. Tal ocorrência denomina-se El niño, palavra que vem do espanhol, “o menino” e recebeu este nome em homenagem ao Menino Jesus, uma vez que este fato ocorre, geralmente, nas proximidades Natal. Tal aquecimento interfere no regime de chuvas e no rendimento da piscicultura e, além disso, desencadeia uma rede de eventos que afetam todo o globo.

O Brasil não se salva das alterações climáticas, pois a seca no Nordeste e seu acentuado processo de desertificação é potencializado devido a estes efeitos desencadeados temporariamente. Por outro lado, o último terremoto no Chile abalou até a cidade se São Paulo. Tal panorama reafirma a conectividade entre todo o globo.

Felizmente, nem tudo está perdido. Em vista das Cúpulas do Clima, como a Rio + 20 e a futura conferência de Paris, no final de 2015, demonstram que o mundo não está alheio aos eventos catastróficos. O mais importante é que o homem se volte para dentro de si mesmo e reconheça que ele não está na natureza, mas é parte dela. O multilateralismo, isto é, a cooperação demonstrada pelas cúpulas é a atual esperança do planeta.

Gabriel Albernaz. Vestibulando.

 

Tema: A anomalia climática atual precisa de um olhar mais cuidadoso ao planeta Terra?