O poder e o futuro

Postagem : 19 de agosto de 2012

O poder pode transformar o indivíduo. Isso quer dizer que aqueles que comandam podem usar artifícios para favorecer o privado em detrimento do público. Nesse sentido, o Brasil destaca-se no cenário midiático como uma organização criminosa com conseqüências desconhecidas.

O fato é que, historicamente, o Brasil apresenta um modelo de corrupção desde 1500. Essa estrutura de cifras desviadas para o próprio bolso do bloco governista deixa o nosso país com a face voltada para os escândalos e prejudica o desenvolvimento econômico, político e social. Vale assinalar ainda, que esse histórico antiético da política brasileira só acontece devido à certeza da impunidade e deixa, cada vez mais nítido, que o poder pode mudar o destino da sociedade.

Um caso exemplar, apresentado ao vivo e em cores, é o julgamento do Mensalão. Esse escândalo ganhou ressonância nacional, ao se referir a uma quadrilha formada por 38 pessoas que financiavam uma suposta propina paga a parlamentares para votarem a favor de projetos de interesse do Poder Executivo. O problema principal é a falta de respeito à Constituição. Porém, a decisão política desse julgamento definirá o grau de evolução política e o futuro do Brasil. Pelo visto, o destino da sociedade está nas mãos de quem ocupa importantes funções no governo.

Diante do exposto, compreende-se que o poder pode transformar a vida e o caráter de um indivíduo. Seria desejável que houvesse a conscientização do voto, no momento
da escolha dos governantes, pois o poder de decisão está em cada cidadão. Chico Buarque ensina que “Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída em tenebrosas transações”. Logo, não é admissível que a corrupção e a falta de respeito permaneçam para que a futura sociedade também não seja prejudicada por tenebrosas corrupções.

Julyane Alves de Assis dos Santos. 25 anos – Farmacêutica. Pretende fazer Medicina.