O trafico de médicos

Postagem : 9 de junho de 2013

E se tudo fosse um seriado americano de medicina? O doente vai ao hospital é atendido pelos médicos, não há filas, os médicos estão sempre sorrindo, não há falta de aparelhagem e, uma hora depois, o enfermo já sai com o tratamento definido.

Na vida real, a medicina encontra-se com um vácuo de profissionais gigantesco, aparelhagem que não é digna de um país do G20. Além disso, o centro de pesquisa medicinal brasileiro não é atraente aos olhos dos profissionais, pois menos de 1% dos médicos seguem a carreira com amor acadêmico e deve-se isso à falta de incentivo do governo.

Medicina para muitos não é uma profissão, mas sim, uma condição social por muito dinheiro e ainda é chamado de doutor. Por sinal, mais um símbolo da alienação do povo brasileiro, pois doutor é quem faz doutorado e não quem conclui uma faculdade.

Algumas medidas estão sendo tomadas para suprir essa estagnação na produção de médicos, como a importação de profissionais da saúde cubanos. Um tráfico? Em verdade, isto deve ser feito apenas, por alguns anos, o tempo o suficiente para o Brasil abrir mais faculdades de medicina para gerar um efetivo bom de médicos. Se a solução é de tendência esquerdista, não importa, pois a manutenção da vida deve estar acima da política.

Lucas Marques Pires da Silva