Perigo diário

Postagem : 17 de agosto de 2014

O trânsito é um problema mundial. Os grandes centros urbanos, ao redor do mundo, sofrem para solucioná-lo. Os frequentes engarrafamentos atrasam a vida dos cidadãos e prejudicam a cidade, tanto visual quanto ecologicamente.

A imagem do carro próprio sempre vendeu a ideia de rapidez e agilidade. Este papel, entretanto, não tem sido o correto. Há doze anos, quando o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) foi reduzido no Brasil, a classe C pôde ascender e comprar o carro próprio. A aquisição em massa gerou um problema grave: as complicações no trânsito urbano.

Além das dificuldades urbanas, torna-se fundamental lembrar-se do pedestre, que sofre com a incapacidade de certos motoristas. O número de acidentes de trânsito no cenário brasileiro é absurdo, pois os idosos e as crianças sofrem com os motoristas irresponsáveis. Os sinais de trânsito atravessados, as setas não ligadas e o desrespeito à faixa dos pedestres são situações corriqueiras e fatais para o cidadão e o motorista.

A falta de cidadania e o sentimento de humanidade no trânsito do país devem ser resolvidos. A melhoria do transporte público coletivo, no país, é urgente. Não é razoável que os pedestres, principais personagens na imagem do trânsito sofram com a falta de estradas e vias de transporte. Além disso, a utilização de bicicletas nos grandes centros do Brasil é perigosa, já que a presença de motoristas inconsequentes é assustadora. Por isso, além da via cíclica, a gentileza e a educação no trânsito também são fundamentais, pois afinal, a cidade pertence as pessoas e não aos carros.

Carolina Moreira. Vestibulanda.

Tema: Como fomentar a cidadania e a inclusão social, por meio dos transportes públicos coletivos, no Brasil?