Real e virtual

Postagem : 20 de setembro de 2020

No cenário de distanciamento social, os meios digitais ficaram mais evidentes no cotidiano da maioria dos indivíduos. As causas para estimular os implementos tecnológicos nas instituições de ensino é para otimizar o tempo das aulas e para permitir o uso mais proativo da informação. Dessa forma, os estudantes terão mais interesse e motivação para se dedicarem ao estudo.  

   Primeiramente, sabe-se que dentro do cérebro humano existe um fenômeno conhecido como ciclo descanso: atividades, fazendo com que o indivíduo fique concentrado por 90 minutos. Depois desse tempo, é necessária uma pausa para um novo ciclo iniciar-se. É bom destacar que o celular passou a facilitar a aproximação, o compartilhamento e ajudar na aprendizagem entre aluno e professor. Em outras palavras, as telas interativas otimizam o tempo, aumentando o rendimento do estudante e a produtividade nos conteúdos, com o auxílio de imagens e vídeos. A partir da orientação do professor, pode-se, sem dúvida, aprimorar o conhecimento dos estudantes com os novos meios virtuais. 

   Além disso, muitas crianças e jovens, no Brasil, não possuem  orientação necessária e condição financeira para navegar e aprender com as oportunidades que os meios digitais oferecem. É bom assinalar que para a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC), formar jovens com pensamentos críticos, conscientes e abundantes de informação é obrigatório. O Brasil não é um país tão desenvolvido, mas com a atual chance do uso das telas interativas, em consequência da COVID-19, uma forma de educação mais avançada pôde começar a ser trabalhada. Porém, é necessário ajudar os jovens que não possuem esses artifícios tecnológicos para também obterem informações virtuais. 

   Diante dos fatos apresentados, observam-se as mudanças positivas que poderão acontecer na vida dos estudantes, com a utilização de implementos tecnológicos, nas salas de aula. Nesse contexto, é oportuno lembrar a escritora Cecília Meireles, com suas palavras: “Mas a vida, a vida, a vida, a vida só é possível reinventada”. Logo mudanças ocorrem na vida e o ser humano precisa dar o melhor de si para conviver e aprender da forma melhor possível. Com a ajuda dos equipamentos tecnológicos, haverá maior participação ativa e democrática da população na vida social e política, já que a informação será difundida mais fácil. Todavia, o seu uso deve ser feito com limites e com a orientação do professor, que também deve passar por um treinamento. Os alunos, por sua vez, precisam também colaborar e ajudar. Dessa forma, os brasileiros poderão ter maior facilidade para adquirirem o conhecimento real e virtual. 

Autora: Luiza Albernaz. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: Pós-pandemia: proibir ou estimular o uso do celular na sala de aula?