Resguardando a vida

Postagem : 17 de agosto de 2015

O desenvolvimento da tecnologia, principalmente no âmbito da saúde, levou ao aumento da longevidade. Nesse cenário, observam-se diagnósticos mais precisos e tratamentos mais eficazes. Em contrapartida, há uma deficiência em relação à assistência com a crescente população de idosos, consequência direta do processo de transição demográfica.

Em verdade, a cultura de desprezo ao idoso é histórica. A sociedade, na maioria das vezes, volta sua atenção para os jovens, pois são os que produzem o crescimento econômico. A consequência disso, porém, foi a exclusão dos idosos, considerados improdutivos, gerando um espírito de inferioridade e depressão nos mais velhos.

O problema mais agudo é que o número de pessoas da terceira idade se encontra em constante ascensão. Sob esta ótica, se faz necessário o desenvolvimento de um sistema de aposentadorias eficiente, na medida em que a Constituição Federal de 1988 assegura a prevalência dos direitos humanos, pressupondo o zelo pela dignidade do idoso.

Diante dessas razões, diz-se que a sociedade brasileira vive um paradoxo em relação ao desenvolvimento social. Concomitantemente ao aumento da expectativa de vida, há um evidente preconceito com os mais experientes na vida, culminando na ridicularização desse grupo. Cabe ao Estado garantir a proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas públicas, como o Estatuto do Idoso, possibilitando a supressão do preconceito e da vida indigna.

Lucas Chierici Pereira. Vestibulando.

Tema: Envelhecimento da população brasileira e a alta expectativa de vida.