Saneamento no Brasil

Postagem : 14 de julho de 2020

No livro “O Cortiço” do escritor naturalista Aluísio Azevedo, é retratado o cotidiano da população brasileira no século XIX. Na obra, a pífia estrutura de saneamento básico deixa os indivíduos à mercê de enfermidades, como a febre amarela. No Brasil atual, nota-se que esse obstáculo ainda não fora transposto. Nesse contexto, analisar fatores políticos e econômicos é primordial para buscar medidas que solucionem tamanha problemática.

Em primeiro lugar, enxerga-se que a questão governamental está entre as razões do impasse. Segundo o filósofo grego Aristóteles, em seu livro, “Ética a Nicômaco”, a política deve ser utilizada de modo que garanta a satisfação dos cidadãos. Todavia, conclui-se que a realidade atual dista do princípio do pensador, haja vista que, conforme dados veiculados pelo Senado Federal, 48% da população do país continua sem coleta de esgoto.

Além disso, vê-se que os problemas econômicos do Brasil corroboram com a atual situação. Acerca dessa temática, o economista da Escola Austríaca, Ludwig Von Mises afirmava que a liberdade comercial é proporcional ao desenvolvimento de uma nação. Diante de tal ótica, é possível inferir que a burocracia brasileira impede que o país arrecade maiores recursos, visto que ele se torna menos atrativo aos olhos dos investidores.

Portanto, medidas são necessárias para resolver o problema. Destarte, é dever do Ministério da Infraestrutura, juntamente, com o Congresso Nacional direcionarem maiores recursos para a construção de obras de saneamento. Para obterem tal quantia, fica a cargo do Estado fazer uma auditoria, a fim de cortar gastos desnecessários, com o intuito de aumentar a profilaxia do país. Ademais, cabe ao Ministério da Economia, em parceria com estados e municípios, criar projetos que visem à desburocratização do comércio brasileiro, com o fito de aumentar o número de investidores, e, consequentemente, a arrecadação de tributos, que deverá, em parte, ser enviada para as obras públicas. Dessa forma, o Brasil se distanciará das mazelas retratadas no livro “O Cortiço”.

Autor: Carlos Eduardo Pereira da Cruz. Aluno do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: Raios-X do saneamento no Brasil.