Sede de saúde

Postagem : 14 de julho de 2020

A espécie humana é dependente de diversos aspectos. Dentre elas, faz-se essencial o acesso à água. Sabe-se que cerca de 80% do corpo é composto pela mesma e que os órgãos precisam dela para realizar suas funções com êxito. Além disso, pode-se afirmar que a água devidamente limpa é um excelente combatente a certas patologias, como cálculo renal, quadros de cistite, entre outras. Diante da importância desse líquido essencial à vida, como o saneamento básico é tão negligenciado no Brasil?

Dados apontam que, atualmente, 35 milhões de brasileiros ainda não têm água tratada em suas moradias. A precariedade em certos estados brasileiros evidenciam uma grande taxa de pessoas doentes e mortalidades entre os moradores das regiões em situação de emergência. Entre pessoas acima de 45 anos, que moram nas comunidades, todas relatam que já foram ou conhecem alguém que foi internado devido à falta de saneamento. Sabe-se também que cerca de 600 crianças morrem por dia, nas favelas brasileiras, sem acesso à água potável. Outros fatores também influenciam na baixa qualidade de vida dessa parcela da população, como a falta de esgotos, encanamentos, depósito de lixo exagerado nas ruas e nos rios gerando acúmulo e enchentes, favorecendo o espaço para agentes patológicos e doenças.

O estilo de vida que essas comunidades levam, no entanto, não é uma escolha dos cidadãos. Em sua grande parte, os moradores são trabalhadores de baixa renda. Esses indivíduos não possuem recursos para procurar atendimento, em redes particulares de saúde, tampouco fazerem reformas para promover melhoria da salubridade no ambiente em que vivem. Sendo assim, precisam recorrer ao Estado, que deveria atender as necessidades da população. O governo, ciente de que essas pessoas vivem à margem do risco e contêm maior índice de contaminação de doenças como hepatite, leptospirose (devido aos ratos que habitam perto dos moradores), diarreias pela água contaminada e outras infecções e doenças hídricas deve redobrar o cuidado e as redes de tratamento precisam ser ainda mais reforçadas.

Para garantir melhorias na qualidade de vida e saúde da população, algumas mudanças devem ser pensadas. As questões ambientais e estruturais precisam ser colocadas em pauta, quando o assunto for o saneamento básico e o acesso à água. O Ministério da  Saúde e o Governo Federal podem trabalhar juntos, para que haja investimentos, nas redes de esgoto e tratamento adequado da água, para que assim, haja melhoria da saúde da população. Também é interessante a reorganização do espaço público das áreas mais afastadas da zona urbana, para que não exista necessidade de descartar lixo em lugares inapropriados. Seguindo este caminho, o Brasil conseguirá dar grandes passos para o desenvolvimento e a segurança da nação, mostrando em seus Raios-X a ordem e o progresso.

Autora: Maria Eduarda Gomes. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: Raios-X do saneamento no Brasil.