Sistema defeituoso

Postagem : 25 de outubro de 2013

As raízes da tensão popular brasileira estão também fixadas sobre os erros da zona urbana. A partir deste ponto, pode-se dizer que as relações entre os diversos setores sociais têm gerado um tecido social partido. É oportuno dizer que esta ruptura da vitalidade da convivência é protagonizada, principalmente, por políticos e professores, responsáveis pela cidadania nacional.

Não é preciso lentes de aumento para ver que os educadores estão sendo vítimas de um sistema que não valoriza a sua contribuição à sociedade. Sob esta ótica, deve-se mencionar que, em troca de construção de intelectos, são remunerados com quantias medíocres, impossibilitando-os de ascenderem no mercado de trabalho por não conseguirem financiar nem cursos de especialização. Este quadro tem impulsionado inúmeros profissionais da educação a reivindicarem melhores oportunidades e salários por meio de manifestações nas ruas urbanas. O artigo 5° da Constituição Brasileira garante a livre manifestação, entretanto, é valido refletir também que o lugar adequado para queixar-se do exercício político é a praça pública, mas o repúdio político a esta causa profissional conduziu a um caos nacional.
Outro ponto destoante é a má atuação dos profissionais da ordem nacional. Diversos episódios envolvendo-os têm deixado a sociedade brasileira atônita e preocupada. Um exemplo importante é a forma com que tratam os protagonistas das manifestações que vêm ocorrendo desde o mês de junho deste ano. Indubitavelmente, há algo errado quando policiais atacam professores, surram manifestantes com cassetetes e fazem uso de “spray” de pimenta para tentar silenciar as tensões urbanas. Sem justificativas efetivas, este bando reprime pessoas que só estão fazendo uso de possibilidades para pressionar os legisladores em busca de seus direitos. Por outro lado, deve-se considerar que este grupo de policiais também é vítima de um sistema que não os capacita para a atuação em um mundo da liberdade pós-capitalista.

O entendimento é de que o convívio social brasileiro está em crise. Diante disso, é interessante mencionar as palavras de Gandhi: “A única revolução possível é dentro de nós”. Logo, a sociedade unida deve lutar pelas causas sociais em busca de um ambiente mais harmonioso. No entanto, faz-se necessária uma conscientização, desde o indivíduo que questiona as leis, até os que criam as mesmas, pois na realidade, todos são iguais e têm os mesmos direitos e deveres. Outro aspecto importante é a manutenção de um sistema social falho que gera a disparidade e a incapacidade, impedindo assim, o progresso vital da nação.

Allana Rodrigues. Vestibulanda.