Tristeza camuflada

Postagem : 22 de setembro de 2014

O Brasil, por apresentar uma grande dimensão de território, possui uma vasta diversidade cultural. O brasileiro se difere do resto do mundo por ser plural, já que somos resultados da mistura de povos indígenas, europeus e africanos e, por ser singular, pois a mistura nos tornou únicos.
Essa grande diversidade é o que atrai a atenção dos estrangeiros para o país. A nossa maior propaganda é a alegria. Recentemente, a Copa do Mundo celebrada aqui comprovou essa nossa característica. A seleção brasileira foi vítima da maior goleada do mundial e, mesmo assim, na final entre a Alemanha e a Argentina houve a maior de todas as festas. Nos diversos artigos e notícias, registrou-se a principal razão para o sucesso do evento esportivo, nossa hospitalidade.
Entretanto, para quem conhece a história brasileira, a nossa alegria não seria um espanto. Somos o povo que transformou tristeza em samba, futebol em arte e limão em caipirinha. Além disso, nenhum país sabe fazer festa como o nosso, tudo é motivo para um churrasco entre amigos e o ápice dessa festividade é o carnaval. Se proibissem o carnaval e o futebol, com certeza, haveria uma revolução.
O problema, no entanto, é que um país não se constrói baseando-se apenas na alegria do carnaval. Descaso com a educação, a saúde e o aumento da violência são fatores notáveis em nossa sociedade, logo não podemos esconder a realidade por trás de sorrisos. Apesar da singularidade brasileira, são raros os momentos de união do povo para as reformas políticas, sociais e econômicas. Por consequência, quando há a união, logo já é chamada de revolução, no entanto, os resultados nem sempre são revolucionários e acabamos permanecendo na mesma situação.
Por isso, o Brasil precisa abandonar um pouco a resiliência, pois o exagero nos torna míopes e só vemos o que nos importa. Precisamos deixar nosso ápice de alegria para as grandes comemorações, mas no dia a dia, é necessário sermos mais críticos diante dos fatos. Desse modo, deixaremos de ser o povo que usa a alegria como camuflagem e poderemos nos tornar um povo sem motivos para tristeza.

Carine Nascimento Lutterbach Dias. Vestibulanda.

Tema: Copa 2014 pode deixar melhora da autoestima como legado para o Brasil.