Uma vida mais leve

Postagem : 14 de julho de 2020

Nos tempos modernos, a vida intensifica-se e torna-se cada dia mais corrida. Empregos, escolas, cursos e preocupações do dia a dia deixam pouco tempo de sobra para pensar em alimentação. Serviços de “delivery” e aplicativos “online” têm se popularizado no Brasil e no mundo, reforçando o hábito nada saudável de uma população com pressa de tudo. Porém, faz-se necessário o cuidado para que o “fast food” não signifique uma vida rápida, resultando doenças como a obesidade.

Da era neandertal até os dias de hoje, o modo como as pessoas se alimentam mudou drasticamente. Depois de frutos e alimentos vegetais, a descoberta do sabor de comidas ricas em carboidrato conquistou o coração da humanidade e também do seu corpo. Apesar de ser da ciência de todos que a alimentação saudável pode ser a chave para uma vida longa e livre de comorbidades, ainda insiste-se na alimentação industrializada e pobre em nutrientes essenciais para a saúde humana. A história fictícia de “Dona Redonda”, faz uma relação com a realidade de pessoas obesas, onde no final da narrativa, a personagem sofre um triste fim. A explosão de Dona Redonda, na verdade, significa que diante de sua situação de sobrepeso, ela pode ter desenvolvido uma série de doenças, como alta taxa de colesterol, hipertensão, problemas cardiovasculares, diabetes, entre várias outras e assim, veio a óbito.

Há uma grande pressão social em torno da vida “fitness”, o que deixa parcela da população desanimada e receosa em desenvolver tais hábitos. Pessoas acima do peso podem vir a se sentirem envergonhadas ao começarem uma nova prática, sendo alvos de “bullying” e comentários maldosos e gordofóbicos, considerados crime pelo Código Penal. Com os recursos da “web”, a mudança de vida está apenas nas mãos de cada indivíduo, principalmente, no período de quarentena, visto que a internet disponibiliza treinos de variados esportes, vídeos, aplicativos e, até mesmo, consultas médicas “online”. Adquirir uma nova rotina não significa abrir mão da antiga, mas sim, torná-la adequada para funcionar em seu benefício.

Sendo assim, a Organização Mundial da Saúde fica responsável pelo reforço à importância da alimentação saudável nas escolas e em ambientes de acesso ao público. Palestras de nutricionistas e profissionais da saúde sobre as consequências de uma alimentação desregrada podem influenciar a população a aderir um estilo de vida mais sadio. Além disso, o alto preço dos alimentos de procedência natural é uma questão urgente a ser resolvida pelas marcas e indústrias, pois deste modo, a reeducação alimentar estaria no alcance de todos e não apenas na vida dos mais afortunados. O país, conscientemente, poderá deixar para trás o peso da obesidade e viver uma vida mais leve.

Autora: Maria Eduarda Gomes. Aluna do Centro de Escrita Regina Magalhães.

Tema: Obesidade, um peso para a vida