Utopia vencida

Postagem : 17 de agosto de 2015

O sonhar é uma característica inata ao ser humano. O ato de projetar diretrizes para o futuro torna-se fundamental para a realização pessoal e a afirmação de sua existência. A hiperglobalização, porém, põe em cheque o tempo, inviabilizando a formação de um plano de mudanças que ultrapassa os limites exclusivamente pessoais.

As sociedades pós-modernas cobram do indivíduo agilidade, para assim sobreviverem às pressões do cotidiano. Dessa forma, muitas vezes, valores humanos perdem-se pelo caminho, a fim de se alcançarem objetivos a qualquer preço em um tempo mínimo. Isso provoca a vigência de um mundo individualista, no qual os ideais de fraternidade e de solidariedade se tornam obsoletos. Sendo assim, é preciso sonhar com uma sociedade mais justa, despertando a irmandade.

É uma ilusão, porém, acreditar que o simples ato de sonhar seria capaz de alterar toda a conjuntura social. O comodismo é perceptível, na contemporaneidade, o que mostra a estagnação das vitórias contra a corrupção e o preconceito, que exigem um forte engajamento de todos os segmentos sociais para serem superados. Assim, faz-se necessária a mobilização de todos os cidadãos, abandonando as utopias e, de maneira ativa, transformar o sonho em realidade.

Fica evidente, então, que os sonhos são fundamentais, não só para quem o faz, mas também, para todos aqueles que se beneficiam dos resultados obtidos. O mundo contemporâneo se apoia em pilares sólidos do individualismo, que só podem ser derrubados com a intensa participação de todos, e assim, poderá trazer de volta os verdadeiros valores humanos, que promoverão paz e igualdade.

Lucas Chierici Pereira. Vestibulando.

Tema: Faça um texto argumentativo depois de fazer uma reflexão sobre a frase de Mário Quintana:

 “Sonhar é acordar-se para dentro”.