Vivência e Conciliação

Postagem : 12 de setembro de 2012

A sustentabilidade mundial está definitivamente comprometida. Vale registra que existe, no cenário global, um crescente sentimento de ganância por desenvolvimento tecnológico e pelo consumo desenfreado. Nesse contexto, setores como o de produção alimentícia e da preservação ambiental acabam em terceiro plano.

Cumpre salientar que há, atualmente, uma grave crise de alimentos. Com o notável desenvolvimento dos BRIC´s, há além de maior consumo de alimentos, por pessoa, um elevado nível de poluição. A consequência disso, é o alastramento de secas por diversas regiões do planeta que, junto ao alto consumo, geram inflação nos produtos de necessidade básica para o ser humano.

É importante lançar luz sobre o fato de que houve, neste ano, houve uma oportunidade aos países, para buscar soluções para os problemas ambientais. No entanto, mesmo com a ocorrência da Rio + 20, não foram encontrados resultados efetivos, já que países de destaque, como os Estados Unidos e a Alemanha, não se mostraram empenhados em colaborar com esse processo. Sendo assim, nota-se que a população mundial se encontra nesse universo pós-capitalista, baseado no individualismo, em que há prioridade do desenvolvimento e do exagero nas compras. As pessoas, em geral, são seduzidas ao consumo e alimentadas por um ideal ilusório de desenvolvimento que, na verdade, cobrirão o alastramento da fome e da miséria.

Por iguais razões, fica evidente que o mundo caminha para o sentido oposto ao da sustentabilidade. A prioridade deve ser o atendimento à necessidade alimentar humana, pois como afirma Caetano Veloso, “Gente é pra brilhar, e não pra morrer de fome”. É bem verdade ainda, que o socialismo extremo não resultou sucesso. No entanto, também se evidencia o fato de que acentuados ideais capitalistas vêm levando o mundo ao caos. É preciso assim, encontrar uma terceira via apropriada, não apenas para a sobrevivência, mas para a conciliação entre o desenvolvimento humano e o político-econômico das próximas gerações.

Pâmella de Alvarenga Souza. Vestibulanda.